PM emite nota sobre militar que afrontou religiosos em Jipa

0
122

Um policial militar passou por cima do tapete de Corpus Christi com um carro, nesta quinta-feira (15), em frente à Igreja São Sebastião em Ji-Paraná (RO), na Região Central de Rondônia. Segundo fiéis católicos, que ficaram revoltados com a ação, o condutor do veículo aparentava estar embriagado e, após destruir o tapete, relatou que decidiu destruí-lo por ser evangélico.A procissão da igreja está marcada para começar no fim da tarde. Aos policiais, testemunhas informaram que o motorista aparentava estar embriagado e teria dito que passou por cima do tapete por ser evangélico e não concordar com a procissão da igreja católica. Após danificar a decoração, a Polícia Militar (PM) foi acionada e compareceu na paróquia para encaminhar o condutor da picape à 1ª Delegacia de Polícia Civil de Ji-Paraná. O condutor não quis fazer o teste do bafômetro e está sendo ouvido na delegacia.

NOTA DA PM

O Comandante do 2° Batalhão de Polícia Militar (2º BPM) vem a público esclarecer o fato ocorrido na manhã deste dia 15 de junho (quinta-feira), na cidade de Ji-Paraná, em que um policial militar avançou o bloqueio viário, conduzindo o seu veículo, e danificou a decoração (pinturas feitas no solo) que estava sendo realizada por fiéis da Igreja Católica, para celebrar o dia de Corpus Christi, festa tradicional religiosa da igreja.

A Polícia Militar de Rondônia, por meio do 2° BPM – Ji-Paraná, de acordo com os ditames da Lei, procura atuar de forma serena, justa e imparcial com objetivo de subsidiar a persecução penal. Sendo que, logo após ter tomado conhecimento do lamentável fato, via telefone 190, os policiais militares do 2° Batalhão deslocaram-se até o local do ocorrido, abordaram e conduziram o infrator até a Delegacia da Polícia Civil, onde foi apresentado à autoridade judiciária de plantão.

Por tratar-se de uma possível infração penal de competência da Justiça Residual, foi lavrado um Boletim de Ocorrência Policial e o conduzido ficou sob a responsabilidade do Delegado de plantão. Além disso, os procedimentos internos administrativos militares serão tomados, a fim de apurar se houve, ou não, qualquer crime penal militar ou até mesmo transgressões disciplinares, previstas na legislação policial militar.

O Comando do 2° Batalhão – Ji-Paraná – não coaduna com a prática de qualquer infração penal, seja ela comum ou militar, inclusive as que envolvem o sentimento religioso, de maneira que o fato será devidamente apurado e as medidas administrativas cabíveis serão tomadas. Para tanto, se coloca à disposição das autoridades, inclusive as eclesiásticas, para prestar informações oficiais e também para contribuir com a elucidação dos fatos.

Por: JOÃO SEVERINO SENA NETO – MAJ PM Resp. Pelo Comando do 2º BPM.

Com Rede TV e Cacoal News

 

Facebook Comments