Hoje tem espetáculo de talentos do Judiciário no Palácio das Artes

0
69

A noite de estreia da III Mostra Cultural do Judiciário, no teatro Palácio das Artes, em Porto Velho, levou para o palco música, dança, cinema e também celebrou a poesia, as artes plásticas e a fotografia, em obras dispostas no hall da casa de espetáculos.

Como disse o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargador Sansão Saldanha, ao abrir oficialmente o evento, a mostra é um momento de comemoração. “Estamos muito alegres de poder nos confraternizar e apreciar o talento de cada um nesta noite especial”, destacou.

O diretor da Emeron, desembargador Paulo Mori, ressaltou o quanto o evento cultural traz reflexos positivos não só para a servidores e magistrados como também para familiares e a comunidade em geral que pode apreciar ao outro lado de quem faz a Justiça. Posição reforçada pelo presidente do Sindicato dos Servidores, Francisco Roque, também parceiro da Mostra.

Os mestres de cerimônia, o magistrado João Valério e a servidora Fabiana, introduzem as atrações da noite. A primeira delas sai direto da tela. Representando a sétima arte na Mostra o curta metragem “Verdadeiro Amor”, trabalho em equipe da 2ª Vara Cível da comarca de Ji-Paraná, da qual faz parte a magistrada Ana Valéria Ziparro e os servidores.

Também, de Ji-Paraná, os servidores Martina Vieira e seus colegas da vara interpretam “When I´m Gone”, de um jeito bem original: a percussão de copos.

Raul Guilherme de Almeida, da comarca de Presidente Médici também escolheu a música para se expressar e cantou “Não é mais segredo”. Jeferson Alves da Silva e Jussara Ribeiro Lukachinsky, de Ariquemes, apresentaram “Vaso quebrado”.

A servidora Simone Scarabel, da seção de pagamento do TJRO, com o grupo do Sesc, coordenado por Nara Teixeira, apresentou uma coreografia de dança do ventre.

Outro bloco de música destacou a flexibilidade dos talentos. Da clássica jovem guarda “Garota do Baile”, defendida pelo famoso Piauí, o servidor Francisco Casimiro, até a rockeira “Exagerado”, de Cazuza e Leoni, interpretada pelo juiz de Ouro Preto do Oeste, João Valério, com banda formada pelos servidores da comarca Fábio Abreu e Antônio Vieira, passando ainda pela canção “Como diria Dylan”, com o servidor de Ariquemes, Márcio Moises.

Teve também quem apenas tocasse um instrumento. Foi o caso de Marcos Alexandre Santana, da comarca de São Francisco do Guaporé, que executou ao violino a “Ária na corda Sol”.

O coral Vozes do Madeira, do Tribunal de Justiça, com a participação dos corais Canto Livre, do MP, e ONG Cidadania e Moradia, da Caixa Econômica, conduzidos pela maestrina Sabrynne Sena, cantaram as canções “Baianá’, “Sina” e “Sutilmente”.

O servidor Antônio Marcos de Macedo, da Emeron de Ji-Paraná, trouxe um clássico da MPB, “Caçador de Mim”, de Sérgio Magrão e Luiz Carlos Sá. E para encerrar a primeira noite de espetáculo com os talentos do judiciário, Patrícia Santos e Acássia Possmosser cantaram a versão em português da canção Hallelujah, de Leonard Cohen.

Nesta terça-feira, dia 14, a partir das 19h, tem mais espetáculo, com atrações diferentes e tão animadas quanto na primeira noite da III Mostra Cultural do Judiciário. A entrada é um kg de alimento não perecível.

 

 

Assessoria de Comunicação

Facebook Comments