Em protesto trabalhadores em educação de Ji-Paraná não participarão do desfile de 7 de setembro

0
1314

Foi iniciado neste último mês de agosto, de forma espontânea, entre professores e pessoal de apoio de Ji-Paraná, um movimento denominado “Reajuste Já”, que tem como objetivo mobilizar os trabalhadores, denunciar a situação de abandono e cobrar da administração municipal mais valorização da categoria. O movimento está sendo coordenado por uma comissão de trabalhadores representando as principais e não conta com a participação do sindicato da categoria, o SINDSEN, que tem sido criticado por trabalhadores que consideram a entidade muito omissa.

Foi divulgado um manifesto no qual a categoria reivindica que seja concedido o reajuste nacional a todos os professores, a revisão dos auxílios alimentação, odontológico e a elevação de nível de todos os trabalhadores que apresentaram diplomas e certificados. Em protesto contra a atual situação de penúria vívida na educação municipal, o movimento “Reajuste Já” informa que os trabalhadores não participarão do desfile de 7 de setembro e alerta que se não for apresentada uma proposta em breve pela administração os trabalhadores poderão iniciar um movimento de greve.

Neste ano, diferente dos anos anteriores, a Prefeitura adotou um critério no qual somente cerca de trinta professores, num total de quatrocentos, receberam o reajuste de 7,64% do piso nacional da educação, ou seja, em torno de 370 professores estão com zero de reajuste em 2017. Já os trabalhadores de apoio receberam este ano apenas 2% de reajuste, que corresponde a um valor aproximado de R$ 16,00. Mesmo diante de toda essa situação o SINDSEM não teria mobilizado a categoria ou feito qualquer manifestação ou protesto para cobrar melhorias

Durante uma reunião realizada na semana passada, quinta-feira (31), entre o secretário de administração do munícipio, Nilton Motta, e a Comissão do Movimento “Reajuste Já”, foram debatidos os principais anseios da categoria, tendo o secretário informado que a Prefeitura está finalizando estudos com vista a conceder um reajuste geral para todos os servidores do munícipio, o qual deverá ser anunciado em breve.

Em documento datado de 22 de agosto de 2017 intitulado Manifesto: “Reajuste Já”, subscrito por centenas de trabalhadores da educação, são denunciadas as reclamações da categoria, como a de que “a administração não tem dado a devida importância quando se trata de remuneração, salário e vencimento”; o documento ressalta que Ji-Paraná vem obtendo o melhor índice do IDEB da Região Norte, o que mostra o comprometimento dos trabalhadores em educação.

O movimento “Reajuste Já” tem procurado apoio junto aos vereadores e à sociedade em geral; bem como, solicitou apoio à Central Única dos Trabalhadores (CUT), para que a Central acompanhe e participe das ações que serão desenvolvidas nos próximos dias. Na semana a Comissão esteve reunida com a vereadora Cláudia de Jesus (PT), visitou outros vereadores e manteve contato com Itamar Ferreira, dirigente da CUT; o representante da CUT informou que estará apresentando a questão para ser debatida na próxima reunião da Central.

Fonte: Assessoria do Movimento “Reajuste Já”

Facebook Comments